ENXERGAVA TUDO PRETO, PONTILHADO COMO SE TIVESSE CAIDO EM UM APARELHO FORA DO AR, CHAPISCADO CALEIDOSCÓPIO NEGRO DE VERÃO. SENTADA NO BARCO CONTINUEI IMÓVEL DE CORPO, POR QUE A MENTE TINHA A VORAZ ÂNSIA DE ESCREVER QUALQUER COISA, QUALQUER LINHA ABSURDA, DESNUDA, AGUDA , FELPUDA, CASACUDA, LÍRICA, TESUDA, CARNUDA, DUVIDOSA, ASQUEROSA, SEI LÁ...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Gatinho da Madrugada


A lua cheia e prateada

Emerge entre as nuvens roxeadas

Lança sua força descomunal

A vertigem da sensação

Desatina, alucina

Descompõe a compostura

A mistura racional

Já sem razão

Palpita desritmado o coração

A feição assume algo tenebroso

O corpo deformado e tenaz

Envolve, inebria

Me agarra, me larga

Desconhecido

Se desfaz


2 comentários:

floratomo... disse...

pois sim, nada como as inspirações, thati souza e cruz... beijo, barangandusa

leticia disse...

Adoro essa!! vc escreve super bem irma... boa sorte com o blog!!
bjoss